[Plantão de notícias...]
contatoFacebook
Andradina/SP
21 Maio 2018
Versão impressa
03.06.2016
Ver edição


Wilson Paganelli

Wilson Paganelli

Advogado e Professor em Castilho/SP

FLA X FLU !!

Caro leitor, prezada leitora, intolerância – eis a questão! Sinceramente, mesmo depois de muita reflexão sobre o assunto, não sabemos o que pensar, o que julgar, o que sugerir como possibilidade de solução... A intolerância que se espraia no seio da nossa sociedade é algo assus-tador. Começa pela política. A questão da condenação do ex-presidente Lula acirrou os ânimos entre aqueles que o defendem, utili-zando como justificativa vários argumentos, dentre eles o de que, quem se posiciona contra, é PSDB, é coxinha é isso, é aquilo... ocasio-nando um racha faccional. Os que se posicionam a favor do que ocorre com Lula não aceitam a posição dos lulistas, tachando de radicalismo, de burrice. Chega-se ao ponto extremo dessa intolerância de um cida-dão disparar contra grupos lulistas que estão acampados em Curitiba! A democracia, evidente, se fosse humana, estaria chocada, revoltada e chorosa. Nós temos nosso posicionamento e nenhum dos argumentos utilizados pelos lulistas, ao menos até o momento, nos convenceu de que eles estão certos e  teve o condão de mudar nosso posicionamen-to. Mas, por outro lado, não criticamos o pensamento deles. Expuse-mos o nosso, numa das redes sociais. Minha mãe pagou o pato. Até paramos de nos manifestar. A intolerância – talvez motivada pelo clima que vive o país – chegou ao esporte. O que fizeram com o jogador Die-go do Flamengo, no embarque do time para o Ceará, não pode ser tole-rado por ninguém. O Flamengo, seja lá por que motivo for – jogando mal, não ganhando partidas – é formado por mais de 30 jogadores. Por que Diego é o acusado e o agredido? Intolerância... Um repórter do SportV, domiciliado em BH - quer dizer, é de lá - depois de passado ra-zoável tempo do lance de reclamação dos atleticanos, no jogo de do-mingo, Corinthians x Atlético Mineiro, quando da anulação do gol do Atlético, sofreu ameaças, teve objetos atirados contra ele pela torcida atleticana... Isso porque, de imediato, alguém que estava dentro do campo (notório pelo ângulo da foto publicada), colocou nas redes so-ciais, por meio de celular, uma foto do repórter com a mão levantada. E colocou comentário de que ele estava avisando ao árbitro que o joga-dor do Atlético (Ricardo Oliveira) houvera posto a mão na bola. Na ver-dade, repórter estava perguntando ao Delegado da Partida e depois pa-ra o 4º árbitro (tempo depois do lance), para quem havia sido dado o cartão amarelo. Nada mais. Quase “lincharam” o repórter na saída do estádio. Professores, em classe, sentem hoje essa intolerância absurda e inexplicável. Basta qualquer opinião diferente da que pretende um aluno ou um professor, é o suficiente para que haja um embate com au-ra de ódio em classe ou em grupo de whatsApp: seja em tema político, esportivo, de opinião sobre este ou aquele assunto... incrível. E os gla-diadores, depois, continuam se digladiando nas redes sociais. E as re-des sociais? Todos temos acesso. Quanta intolerância. “Se for contra, compartilhe!”. “Se for a favor, compartilhe”. E ai do pobre coitado que compartilhar!!! Se compartilhar a favor, leva uma saraivada de xinga-mentos, por ser a favor. Se for contra, saraivada e meia de insultos. Vi-vemos autênticos Porco x Gaviões; Fla x Flu; Galo x Raposa;  Grêmio x Inter... em que as torcidas, mormente as organizadas, intolerantemente se engalfinham. Isso saiu dos estádios e já tomou conta das ruas, dos bairros, das escolas, das cidades, dos estados, do país! Alguém co-nhece algum estratagema para brecar isso? Daqui uns dias, vai dar morte! Intolerância – eis a questão! 

Comentários


Wilson Paganelli


11.05.2018

FLA X FLU !!

16.01.2018

POLITICOSSAUROS

09.01.2018

Brasil da vergonha!

27.11.2017

É DE TEMER!

Cadastro
Receba Notícias por email.
Contato
Rua Dr. Orensy Rodrigues da Silva, 879
Centro - Andradina/SP
Telefone:
18 3722-7376